DISCOVERY CHANNEL CELEBRA A SEMANA DO ESPAÇO COM ESTREIA DE DOCUMENTÁRIO SOBRE A NASA REALIZADO POR RORY KENNEDY



Como todos os anos em outubro, o cosmos transforma-se no grande protagonista do Discovery Channel, durante a Semana do Espaço. Este ano, o evento termina com uma programação ainda mais especial: NASA: Viagem até ao Amanhã, o documentário da cineasta Rory Kennedy, que comemora os 60 anos da NASA e os feitos e objetivos da agência espacial mais famosa do mundo.

“É um pequeno passo para o Homem, mas um grande salto para a Humanidade”. Estas palavras remetem-nos para um dos maiores feitos da história: a chegada do Homem à Lua. Como todos os anos em outubro, o Discovery Channel olha para o Universo, na Semana do Espaço e celebra a efeméride com uma programação especial, de 8 a 14 de Outubro. Ainda para mais, este ano, a Semana do Espaço coincide com um aniversário especial: os 60 anos da NASA.

Com o objetivo de celebrar os avanços científicos da Humanidade em matéria de exploração espacial durante mais de meio século, o Discovery Channel oferece uma programação especial que inclui a estreia de novas temporadas de séries consagradas como “História do Universo” e “Desmontando o Cosmos”. Para além destes programas já considerados clássicos, a Semana do Espaço termina com a estreia em exclusivo do filme documental “NASA: Viagem até ao Amanhã”, uma ambiciosa produção que mostra os mais importantes projetos e missões desenvolvidos ao longo de 60 pela Agência Espacial norte-americana.

Realizado, produzido e narrado por Rory Kennedy, sobrinha do antigo presidente dos EUA, John F. Kennedy e cineasta premiada com um Emmy e nomeada para um Oscar em 2017 pelo documentário ‘Last Days of Vietnam’, esta grande produção feita para o Discovery Channel examina a extraordinária forma como a NASA tem mudado a nossa visão do Universo, como vemos o nosso planeta e como nos vemos a nós mesmos. Ao longo de 90 minutos, “NASA: Viagem até ao Amanhã” destaca o esforço da agência espacial para encontrar respostas a questões que assolam a Humanidade desde o início dos tempos: De onde vimos? Estaremos sós no Universo? Que futuro se espera para a Humanidade?

Pela mão da cineasta e assinalando os 60 anos da NASA, a agência espacial norte-americana oferece um acesso sem precedentes ao Discovery Channel, convidando os espetadores a viajar até à Lua, à superfície de Marte, aos limites do Sistema Solar e muito mais além. Mas o documentário vai muito para lá de uma resenha dos maiores feitos da NASA, colocando assim o foco nas áreas de trabalho menos conhecidas da instituição: o papel essencial que tem tido na investigação e análise da saúde do nosso planeta. A pesar de já ter chegado bem longe no espaço, a visão da NASA sempre esteve dirigida para a Terra, monotorizando o nosso céu e oceanos, os desertos e as regiões geladas e fazendo frente aos grandes desafios que ameaçam o nosso planeta.

Em 1961, num famoso discurso, JFK sonhou em colocar o Homem na lua. Um discurso que delineou o caminho da NASA: “Demos a este programa uma alta prioridade nacional”. E acrescentou: “Sei que é, de certa maneira, um ato de fé, porque neste momento não sabemos os benefícios que nos esperam”. Fazendo uma retrospectiva pelas últimas seis décadas, mas com os olhos postos no futuro, “NASA: Viagem até ao Amanhã” oferece um amplo acesso aos responsáveis pela agência e à vasta equipa de cientistas e astronautas, para mostrar ao mundo como é o interior da maior agência espacial do mundo. Através de entrevistas a engenheiros como Adam Steltzner - que dirigiu a missão Curiosity a Marte- e astronautas como Peggy Whitson – que detém o recorde norte-americano de ter permanecido 665 dias no espaço, a directora mostra ao público, pela primeira vez, telescópios espaciais de última geração, os deslumbrantes protótipos da nave que se destinará a Marte e as investigações que têm vindo a ser feitas sobre o sistema solar, a Galáxia e o Universo. Descobriremos também que a NASA orienta toda a sua tecnologia para uso doméstico, permitindo analisar em detalhe, por exemplo, o buraco na camada do ozono ou as alterações climáticas, numa tentativa de compreender o passado, o presente e o futuro do nosso planeta.
Poderá surpreender a maior parte das pessoas, mas a NASA sempre conjugou as missões espaciais com a investigação da Terra. Já na década de 60, depois de ter percorrido 400.000 quilómetros durante três dias ao redor do planeta, a tripulação do Apolo 8 conseguiu ver e captar pela primeira vez a imagem mais icónica da Terra, que permitiu que a víssemos como ela é: “um grande oásis na imensidão do espaço”, como a descreveu o astronauta del Apolo 8, Jim Lovell. O objectivo da missão era explorar a Lua mas acabou mesmo por descobrir a Terra…
“NASA: Viagem até ao Amanhã” mostra-nos ainda o papel importantíssimo dos telescópios e veículos espaciais como o Curiosity, que aterrou em marte para analisar se no planeta vermelho poderá ter existido vida. Os investigadores já tinham descoberto, em missões anteriores, que havia água na superfície de Marte e o Curiosity foi enviado para explorar mais a fundo e averiguar se a água é doce ou salgada, ácida ou potável… “O Curiosity respondeu às nossas perguntas”, diz o engenheiro espacial Adam Steltzner. “O ambiente húmido que tem 3.500 milhões de anos, quando a vida começava na Terra, evidencia que Marte era um planeta habitável no qual poderá ter havido vida”. Como explica a cientista chefe da NASA entre 2013 e 2016, Ellen Stofan: “quando olhamos para o espaço, quando entendemos os planetas, quando saimos para explorar o Universo, estamos realmente a olhar para nós próprios e a perguntar: como funciona o nosso planeta? Marte foi habitável, tal como a Terra e agora já não o é. Isso deixa bem claro que os corpos planetários se transformam”.

Com cerca de 20 satélites a estudar o planeta e diversas equipas de terra e astronautas a trabalhar com o mesmo objetivo, a NASA consegue ter acesso a quase todos os aspectos dos sistemas terrestres, realizando uma análise direta graças aos dados obtidos durante décadas. Desde o degelo dos glaciares na Antártida à deterioração das barreiras de coral, a informação recolhida pela NASA, dentro e fora do nosso planeta, é essencial para entender a Humanidade e fazer frente aos desafios de hoje. Se o presidente Kennedy fez, há 60 anos, o discurso que haveria de colocar o Homem na Lua, a sobrinha, Rory Kennedy, argumenta neste documentário que a missão mais urgente agora é obter respostas sobre o futuro da vida na Terra, mostrando de forma detalhada como o planeta está a mudar e tornando visíveis as ameaças que teremos de enfrentar no futuro.
PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DA ‘SEMANA DO ESPAÇO’ NO DISCOVERY CHANNEL De 8 a 14 de outubro, celebramos uma nova edição da Semana do Espaço, que inclui a estreia de novas temporadas das séries científicas mais icónicas do canal: “História do Universo e Desmontando o Cosmos”. A partir de segunda-feira, 8 de outubro, às 21 horas, o Discovery Channel une-se a um elenco de astrónomos es especialistas de primeira linha para tentar decifrar os enigmas do espaço.
A partir das 21.00 horas, voltamos a olhar para o espaço com a estreia da terceira temporada de ‘Desmontar o Cosmos’, que continua a explorar, a cada noite, os segredos ocultos que rodeiam a origem e destino do Universo, analisando camada a camada os buracos negros super massivos com impressionantes animações feitas por computador. Aqui fala-se da possibiliade de viajar no tempo, das novas missões na Lua e em Marte, que poderão ser as novas casas da Humanidade, da busca pelo limite do Universo e das auroras boreais, que apenas podem ser vistas a norte do planeta Terra.
Depois, às 22 horas, chega “História do Universo”, com a sexta temporada, que explora um dos maiores mistérios da Terra: os buracos negros. Para além disso, os novos episódios da série abordam temas que são objeto de investigação e debate entre a comunidade científica internacional, como os planetas anões, os quasares, o futuro da via láctea e os mecanismos de defesa do nosso planeta, entre outros.
A Semana do Espaço, de 8 a 14 de outubro, inclui a emissão diária de um episódio das novas temporadas de “História do Universo” (21 horas) e “Desmontar o Cosmos” (22 horas). Termina com a estreia do documentário “NASA: Viagem Até ao Amanhã” (22 horas), no domingo, dia 14 de outubro.